sábado, 25 de outubro de 2008

Outonos e Primaveras


Primavera é tempo de ressurreição. A vida cumpre o ofício de florescer ao seu tempo. O que hoje está revestido de cores precisou passar pelo silêncio das sombras. A vida não é por acaso. Ela é fruto do processo que a encaminha sem pressa e sem atropelos a um destino que não finda, porque é ciclo que a faz continuar em insondáveis movimentos de vida e morte. O florido sobre a terra não é acontecimento sem precedências. Antes da flor, a morte da semente, o suspiro dissonante de quem se desprende do que é para ser revestido de outras grandezas. O que hoje vejo e reconheço belo é apenas uma parte do processo. O que eu não pude ver é o que sustenta a beleza.A arte de morrer em silêncio é atributo que pertence às sementes. A dureza do chão não permite que os nossos olhos alcancem o acontecimento. Antes de ser flor, a primavera é chão escuro de sombras, vida se entregando ao dialético movimento de uma morte anunciada, cumprida em partes.A primavera só pode ser o que é porque o outono lhe embalou em seus braços. Outono é o tempo em que as sementes deitam sobre a terra seus destinos de fecundidade. É o tempo em que à morte se entregam, esperançosas de ressurreição. Outono é a maternidade das floradas, dos cantos das cigarras e dos assovios dos ventos. Outono é a preparação das aquarelas, dos trabalhos silenciosos que não causam alardes, mas que mais tarde serão fundamentais para o sustento da beleza que há de vir.São as estações do tempo. São as estações da vida.Há em nossos dias uma infinidade de cenas que podemos reconhecer a partir da mística dos outonos e das primaveras. Também nós cumprimos em nossa carne humana os mesmos destinos. Destino de morrer em pequenas partes, mediante sacrifícios que nos faz abraçar o silêncio das sombras... Destino de florescer costurados em cores, alçados por alegrias que nos caem do céu, quando menos esperadas, anunciando que depois de outonos, a vida sempre nos reserva primaveras...


Floresçamos.


( Fabio de Melo )

10 comentários:

Lu disse...

Amo esse texto do Pe. Fábio, ele tem o dom de nos fazer compreender por meio das comparações, como Jesus.É bobagem querer viver em eterna primavera e até a natureza nos ensina isso. Tem post novo na minha casinha. Recebi o e-mail sim, viu? Que as palavras do padre sirvam para os outros da mesma forma que serviu para nós.Deus te abençoe!

Mary disse...

sem poder me alongar muito por causa da LER... mas como eu queria!!!! rsrsr...

resumiria esse texto de pe. fabio em apenas duas idéias: TD PASSA... E, NA VIDA, TRISTEZA E ALEGRIA REVEZAM-SE NO NOSSO PALCO PRINCIPAL...

bjo, amiga!

Em Construção... disse...

Sim, depois do outono sempre virá a primavera...Principalmente para aqueles que ESPERAM NO SENHOR!AMEIII AMIGA...
SIMPLISMENTE LINDO, SEM PALAVRAS!
TE AMOOOOO
BEIJUS

Gessica disse...

pois é, abandonei meu blog ultimamente.. Falta de tempo e inspiração pra falar bem a verdade ;x As formulas e macetes pra uma maldição chamada vestibular tem me deixado meio louca OAIUSHOISUHO tive dando uma olhada noos teus textos, bateeeu uma saudade até, bons, profundo e tocantes como sempre né, cada vez melhores! :)
ótima semana, até logo espero, Beeijos

LindaRê disse...

que lindo... não conhecia.

Em Construção... disse...

ah amiga..como eu queria poder te olhar pegra sua mão....
Mas é muito bom saber que Deus continua nos unindo e não importa a distância e nem o tempo , vc acalma meu coração só deu saber q estás comigo em oração...
TE AMOOO
SAUDADES
BEIJUS

Caroline disse...

Pasre Fábio de Melo é perfeito!!!
Ele é abençoado e cheio de paz!!!
Suas músicas são divinas!!!
Letras lindas!!!
bjos cunhada!
amo vc

Ao toque do amor disse...

Olá..
Adorei este espaço, é muito lindo.
Parabéns por tua sensibilidade e delicadeza.

Ao toque do amor disse...

Bom dia!!!!
A paz do Senhor na tua vida...e obrigada pela visitinha, volte sempre.
Ah.. pode sim ok.
beijinhus.

Silvana Oliveira disse...

Pe Fábio sempre tão perfeito...